Fotografe um livro: #Caio Fernando Abreu de A a Z

Fiquei um pedacinho da tarde passeando pelo instagram e, depois de muito fuçar por aí, acabei na minha própria galeria. Se o costume de casa vai à praça, eu não sei. Mas que os vícios refletem nos nossos feeds, é um fato. Entre as até então 181 fotos, eu pude notar um hábito: fotografar livros.
Entre os modelos um se destaca, o queridinho “#Caio Fernando Abreu de A a Z“. 


Um livro todo moderninho: com a cara das redes sociais que nós tanto usamos e muito bem organizado. 

Resuminho básico. 

O maior propósito do livro é esse: reunir trechos que são de fato e de direito do Caio. Com a febre pseudo-literária de legendar fotos com trechos de livros/filmes/músicas sem checar a veracidade do autor (e muito menos conhecê-lo), virou comum não só postar fotos nada-a-ver-com-a-legenda-mas-achei-bonito-e-vou-colocar, mas também disseminar trechos de “autores desconhecidos” com a assinatura de grandes autores. Caio foi um dos grandes – se não o maior. Perdão, Mrs. Lispector – afetados pela liberdade de alterar e repassar informações erradas nessa terra sem dono que é a internet.

Por isso o livro nos presenteia com trechos separados por temas (Abandono, ausência, carinho, coração, encontro […]) e organizado em ordem alfabética, o que só o torna ainda melhor. 







O design do livro é bonitinho, se aproveita da vibe “Caio-na-rede” e traz os trechos em formas de publicações do Facebook.



O livro também possui ilustrações, uma do Caio – o que eu acho sensacional! -, outras que parecem ter sido retiradas daquelas páginas que sua tia curte no Facebook, aquelas que têm um texto de auto ajuda ou alguma indireta retirada do Pensador, com uma imagem aleatória achada no Tumblr. Tirando esse pequeno detalhe, está tudo lindo!



Acho o livro um presente certeiro se você tem um amigo que gosta do Caio e volume indispensável na sua estante se você gosta do que o nosso guri escrevia. É o tipo de livro que você mantém na cabeceira da sua cama e resolve abrir sempre que está sentindo demais. Não importa o quê. Aliás, você não precisa nem saber o quê. Só pegue-o. O resto vem. Como um barquinho na correnteza


O livro também serve para quem sempre teve interesse em conhecer as obras do Caio, talvez começar por ele seja um bom primeiro passo. Acho a escrita do Caio muito intensa, bastante pessoal e sem pudor. O que ele tem a dizer pode causar estranhamento de início – foi assim comigo. Ele não é só as aparentes frases clichês que a grande maioria conhece. Caio é mais, eu costumo dizer que ele é escancarado. Um homem que escrevia para viver, e que, segundo ele, antes de qualquer coisa era escritor. Um gaúcho que queria muito que alguém o amasse por alguma coisa que ele escreveu.
Se eu pudesse dizer qualquer coisa a ele, diria que ele conseguiu. E agradeceria pela companhia durante noites e noites de solidão, paranoia e compreensão. 


“Sem amor. Só a loucura.” 

101 coisas em 1001 dias

Foto/Reprodução: Layla Amarante
O projeto teve início em 2005 (deeez anos atrás, gente!), numa versão em inglês e virou febre na blogosfera. Eu sempre quis cumprir um desses desafios/projetos. Tentei o “#100HappyDays” no instagram, mas não vingou. Dessa vez vou tentar levar para frente. Eu jurei para mim que não faria listinha de “resolução para o Ano Novo”. Essa se aproxima na ideia, mas não “cobra” tanto, acho que pelo tempo para realizar que é maior – em torno de dois anos e nove meses O objetivo é cumprir, como já diz o nome, 101 metas em 1001 dias. Simples? Parece que sim. Veremos no que dá. 
 
Início: Quarta-feira, 07/01/2015
Termino:  Quarta-feira, 04/10/2017
 
      01. Tirar a carteira de habilitação
02. Abrir uma poupança
03. Fazer exercício físico pelo menos duas vezes na semana/OU entrar na academia e permanecer
04. Me importar menos com o que os outros vão pensar
05. Ser menos preocupada e aproveitar mais os momentos
06. Ser mais independente
07. Estudar retórica e argumentação
08. Deixar de depender financeiramente dos meus pais
09. Acampar
10. Conhecer São Paulo
11. Viajar em família
12. Voltar ao Rio de Janeiro
13. Viajar a dois
14. Manter o blog até o fim dos 1001 dias
15. Viajar para outro país 
16. Conhecer o deserto do Atacama
17. Aprender a nadar
18. Conhecer Bariloche
19. Aprender a fazer penteados em mim mesma
20. Viajar com o meu irmão
21. Comprar uma instax
22. Comprar um celular novo (com o meu dinheiro)
23. Comprar Just Dance 2015
24. Comprar uma estante nova para o meu quarto
25. Ir ao teatro
26. Revelar pelo menos 3 fotos por mês durante 1 ano
– Janeiro/2015 
– Fevereiro/2015
27. Comprar um violão
28. Assistir pelo menos 100 filmes da lista “1001 filmes para ver antes de morrer”
29. Finalizar um jogo com o namorado
30. Assistir todos o filmes da Lista da Bestie:
    (Para acompanhar a lista no filmow)
31. Ler três livros por mês 
32. Fazer um ensaio de fotos com profissional
33. Comprar prateleiras novas para os meus livros
34. Comprar 20 (ou mais!) pelúcias
35. Comprar mais cortinas
36. Fazer 5 sorteios no blog
37. Comprar um tapete para o meu quarto
38. Ler 10 livros em inglês
39. Comprar uma câmera nova
40. Aprender a tocar violão
41. Passar réveillon na praia
42. Comprar jogos pro 3ds do G
43. Começar a trabalhar
44. Aprender a fazer bolo
45. Ir ao nutricionista
46. Aprender a fazer feijão
47. Deixar de tomar Coca-cola
48. Aprender a jogar xadrez
49. Entrar para faculdade
50. Voltar a estudar inglês
51. Voltar a pintar
52. Começar a estudar francês
53. Fazer aula de dança
54. Ir ao dentista
55. Começar a estudar para concurso
56. Passar em um concurso
57. Visitar a Natalia
58. Ter um agenda/caderno de organização e mantê-la
59. Ler os livros do Guia do Mochileiro das Galáxias
60. Cortar o cabelo
61. Assistir todos os filmes de Star Wars 
62. Ler todos os livros de GoT
63. Perder peso
64. Reformar meu quarto
65. Enviar a carta (e muitas outras) da bestie
66. Enviar o livro da Danny
67. Arrumar meu guarda-roupa e tirar o que não serve para doar
68. Jogar fora todos os papéis da estante que não servem mais
69. Ler todos os livros da minha estante
70. Desencalhar uma amiga
71. Assistir/rever/acompanhar todas as séries:
– Suits
– Friends
– GoT
– How to get away with murder
– How I met your mother
– Sherlock
– Breaking bad
– The big bang theory
72. Morar sozinha/sair da casa dos meus pais
73. Doar sangue
74. Acompanhar de perto o crescimento da Julia
75. Frequentar os encontros da SdD
76. Assistir Pokémon
78. Ir a 2 shows
79. Comprar 10 livros que eu queira muito, muito, muito!
80. Trocar os meus óculos
81. Fazer 20 projetos DIY
82. Aprender a desenhar
83. Organizar minha lojinha no Enjoei
84. Presentear 10 pessoas sem motivo aparente
– J.A.
– Mãe
– Pai
– Uon
– Gabs
– Let
– Ju
– JH
– EV
– JC
85. Fazer trilha
86. Assistir 30 filmes no cinema
  1. O Jogo da Imitação (2014)
 2. Fifty Shades of Grey (2015)
 3. Os Vingadores: a era de Ultron (2015)
 4. Simplesmente Acontece (2014)
 5. Entre Abelhas (2014)
6. Deadpool
7. Batman vs. Superman
 8. O Poderoso Chefinho
9. Minha mãe é uma peça 2
10. Moana
87. Encher um cofrinho
88. Reencontrar os amigos do colégio
89. Destruir o livro “Destrua esse diário” que ganhei da Dudu.
90. Fazer um diário de viagem
91. Comprar todas as temporadas de pelo menos 5 séries que gosto muito.
92. Visitar, no mínimo, dois museus
93. Fazer uma receita diferente pelo menos uma vez no mês
– Abril/2015: churros.
– Outubro/2015: bruaca doce.
– Julho/2017: brownie
94. Criar um LookBook
95. Ler a minha enciclopédia visual da Recreio
96. Me aprofundar em 10 assuntos que sempre tive curiosidade
1. Moda Francesa
2. Técnicas de Estudo
3.
4.
5.
6.
7.
8.
9.
10.
97. Ser aprovada em Direito na Federal
98. Fazer uma maratona com os filmes do Senhor dos Aneis
99. Fazer uma festa de aniversário legal
100. Fazer 25 programas diferentes com a minha família durante o projeto (e registrá-los)
101. Cumprir pelo menos a metade dessa lista

Para curtir, curtir e curtir!

Se existe uma coisa que eu gosto mais do que procurar páginas legais no Facebook, é achar páginas legais no Facebook. Gosto tanto que geralmente compartilho – quem nunca foi nos comentários, marcou a pessoa junto de um “<3” ou um “Haha” que atire a primeira pedra, por favor.
Se tem uma coisa que eu gosto mais do que tudo que eu já citei anteriormente, é fazer listas. Então resolvi unir o útil ao agradável e listar as melhores páginas que eu curto lá no site do amigo Zuckerberg.  

Porque um tiquinho de veneno e bom humor vezenquando não mata ninguém, não é?
Pois bem, o Fofurinhas segue a linha indiretas e é só sinceridades.  
 












Essa aqui tem o meu coração inteiro e mais um pouco de tão amorzinho que é. É uma reprodução do projeto “Humans of New York”, o projeto é realizado para disciplina de Fotojornalismo e a página é mantida por alunos do curso de Jornalismo da UFC, em Fortaleza. Traz fotos e depoimentos curtos de estranhos, impossível não se emocionar, gente.
 

“A gente se conhece desde o colégio. Nós começamos a namorar a partir das festas nos clubes que tinha naquela época, faremos 30 anos de casados no dia 19 de dezembro e temos três filhas.”

“E o que vocês mais gostam um no outro?”

“O que eu mais gosto nela… É a chatice! Não, o que eu mais gosto nela é a compreensão, a amizade, o amor, a convivência, tudo isso faz parte de um todo. É como se fosse um bolo, você tem que colocar vários ingredientes para fazer poder fazer uma coisa bonita.”

“O que eu mais gosto nele é o amor que ele tem pela família, ele é muito família, muito louco pelas filhas. Se for preciso, ele deixa de fazer algo por ele, para poder fazer pelas meninas, é um paizão mesmo. É um bom marido, claro, mas ele é mais paizão do que maridão. Ele também é muito sincero, quando algo está incomodando ele diz mesmo, essa coisa de dizer sempre a verdade.”

Para quem curte arte de rua é certo amor a primeira vista. A página traz registros fotográficos de pichação/grafite. A melhor parte é que qualquer pessoa pode enviar uma foto. Verdade nua e crua, sinceridade, desilusão, desabafo… Tem de tudo e é de todo mundo.












Eu descobri o projeto da Juliana têm alguns meses. Trata-se de uma série de fotos, tiradas diariamente, da praia de Copacabana (ah, Copacabana…!) As fotos possuem como legenda um adjetivo que caracterize a praia naquele retrato. O projeto da Juliana virou até livro. Ela também divulga o trabalho no instagram, confere lá.











É uma página que faz… Listas! Precisa falar mais alguma coisa?
Precisa. Porque são listas fofinhas e do bem. Foi barra escolher essas para colocar no post, por mim postava todas.












Para quem é bookaholic como eu, tem por obrigação conhecer essa página. Se você ainda não conhece, eu vos apresento e vos declaro marido e mulher. A vontade é de casar, eu sei. A página (também existe um site com o mesmo nome e a mesma finalidade) nos presenteia com dedicatórias de livros que também podem ser enviadas por qualquer pessoa. Só que há um bônus: não estão lá só as dedicatórias, mas as histórias por trás delas também. Só confiram, gogogo!
“paula,

o sol é para todos,
mas eu te dou
a minha parte.

você é a minha luz.

02/03/13
Thar”

pra ler a história: http://eutededico.com.br/post/99413416189/paula-o-sol-e-para-todos-mas-eu-te-dou-a-minha


Por último, porém… essa aqui já é bem conhecida, mas acho injusto não colocá-la na listinha. Feita para você marcar os seus amigos, o seu amor e até quem não é tão chegado mas se encaixa na indireta. O nome já é auto explicativo, então fica uma prévia com (algumas d)as minhas preferidas. 

Post de apresentação que não apresenta.

Eu não gosto mesmo de fazer isso. Por isso não farei. Sabe aquelas dinâmicas em grupo que todo mundo precisa fazer um cartão de visita de si mesmo ao vivo e a cores no estilo “Se vira nos 30”? Pois bem, o obrigatório post de apresentação me causa a mesma sensação.
Por isso falarei do próprio blog, o meu mais novo filhote – e esse, eu juro pr’ocês, não vai morrer por abandono ou esquecimento.
Com o fim da minha vida escolar e a chegada do nosso tão conhecido tédio-das-férias, a ideia de criar mais um blog retornou. Dessa vez mais forte e, felizmente, com defensores (Roberta, Gio, Wes e Lele: meu mais sincero obrigada! Isso é para vocês também. ♥)
A ideia, meus amigos, é escrever e compartilhar. O primeiro me é muito comum, já o segundo… um desafio e tanto.  2015 me parece um bom ano para desafios e é assim que eu pretendo e estou a começá-lo: me desafiando. Primeiro, o blog. O resto  virá. 
“… barquinho na correnteza, Deus dará.”

 
Não era mesmo para fazer sentido, não se preocupem.


T. ♥