Fortalezando: Um passeio pelo Passeio Público

Para quem não sabe, há um pouco mais de cinco meses eu mudei para Fortaleza por causa da faculdade. 
Antes, uma breve explicação: para quem não me conhece, até então, eu morava em uma cidade do interior do Ceará, uma cidadezinha do litoral leste, Fortim. Mas essa eu vou apresentar para vocês em outro post. 
Retomando o assunto… o sentimento de mudança vem sempre acompanhado de curiosidade. Eu, uma curiosa por natureza, decidi conhecer um pouco mais e bem de perto a cidade de Fortaleza, minha nova casa. Eu tenho lido muito sobre urbanidades e sou uma apaixonada por Fortaleza desde quando morei aqui pela primeira vez, ainda criança, mas não tive a oportunidade de conhecê-la de perto.  Foi então que eu resolvi conhecer a cidade de uma forma compartilhada. Brinquei com o português, transformando a cidade em um verbo que pode ser conjugado em todas – e por todas – as pessoas. 
A experiência eu resolvi compartilhar aqui no blog. Convido todos vocês que moram em Fortaleza a usarem lá no Instragram a hashtag #Fortalezando nas fotos tiradas pela cidade. Vou tentar selecionar algumas (ou todas!) mensalmente e postá-las aqui.

O primeiro local escolhido foi o Passeio Público. Na verdade, ele quem me escolheu. A visita a Praça dos Mártires – como também é conhecido o local – foi totalmente espontânea. Estávamos eu, minha prima e o tio dela – que eu também adotei como meu – voltando das compras, em pleno sábado à tarde, quando ele pergunta “conhece o Passeio Público, Thaís?”.
Bastou um “não” ressentido da minha parte para ele dizer “pois vai conhecer agora!” ♥
O Passeio Público é um local lindo, que está lá desde sempre, mas que é pouco visto e pouco visitado. A cidade precisa ser ocupada.



A ideia é que os posts da série “Fortalezando” sejam mais fotográficos, que as fotos falem por si só. Como foi um passeio “não-combinado”, não pude levar a câmera e as fotos são todas de celular. As fotos não foram planejadas por isso eu estou em quase todas. Créditos as Thaís Rodrigues pela mania de ficar me fotografando direto sem que eu veja. Haha!, obrigada pelas fotos, T1. Meu eterno agradecimento ao tio Ronaldo, o melhor guia turístico de toda Fortaleza!

Anúncios

Como se organizar durante o ano de pré-vestibular

Quem me conhece sabe que o meu ensino médio foi uma verdadeira batalha travada contra o vestibular, mais precisamente, contra o ENEM. Eu prestei ENEM três vezes, duas como treineira e uma para valer. Desde que eu me entendo por gente, sonho em cursar Direito e eu lutei muito por esse sonho. De início, eu queria muito, muito mesmo, cursar Direito na Federal do Ceará. Só que, infelizmente, não rolou. Mesmo não conseguindo a tão sonhada aprovação na UFC, eu consegui ser aprovada em Direito na Estadual do RN e em duas particulares. Entre as três aprovações, eu optei por cursar Direito na Faculdade Farias Brito em Fortaleza e estou satisfeitíssima. Se você não acredita em Deus, eu acredito e acredito que ele escreva mesmo certo por linhas tortas. Enfim, o post não é sobre o rumo da minha vida acadêmica, é sobre como eu me preparei para iniciar uma. No colégio eu era bem conhecida pela forma como eu organizava os meus estudos. Graças a Nat, minha grande mentora no mundo do pré-vestibular, eu aprendi a ter horários bem definidos, o que foi de grande importância para as minhas aprovações. Desde o primeiro ano do ensino médio eu tinha a minha rotina bem definida e pautada naquilo que eu mais tinha dificuldade (exatas, claro). Então, vai algumas dicas para quem está na batalha:


♥ Primeiro: eu tinha dois cadernos para o colégio. Um para humanas, linguagens e redação. Outro para exatas e biológicas. A divisão me ajudou muito.

♥ Segundo: eu trabalhava com o esquema “aula dada, aula revisada”. Vocês podem reparar no meu horário (disponível aqui) que a cada aula que eu tinha no dia, eu reservava uma hora para revisar o que nela fora dado.

♥ Terceiro: como eu tinha dificuldade em Matemática, Química e Física, todos os dias eu estudava junto com um professor particular (e eu tinha o melhor <3) pelo menos uma das três disciplinas. Esse estudo era baseado em resolução de exercício, ele explicava a matéria, passava lista e, no que eu tinha dificuldade, ele me ajudava. O bom de ter um professor fora do colégio é que você tem a oportunidade de ver a mesma matéria de ângulos diferentes, já que as metodologias sempre são diferentes. Para quem não pode pagar professor particular, eu indico o Descomplica (grande salvador da pátria) <3! Sai bem mais em conta. Eu usei o Descomplica por dois anos e, pelo menos para mim, foi o grande diferencial. Eu indico, principalmente, para quem precisa de uma super força em redação, linguagens e humanas. Aulas diárias, monitoria, MELHORES PROFESSORES EVER, alegria e descontração – o que é muito importante no ano de pré.

♥ Quarto: fazer exercícios. É o mais importante. A fixação do conteúdo acontece na prática, então quanto mais questões você puder fazer, melhor será o seu rendimento. RESOLVA EXERCÍCIOS. Everyday. Everynight. Everywhere. Eu super indico o Projeto Medicina para quem não tem muitos exercícios. Eles disponibilizam listas grátis, é só baixar e imprimir.

♥ Quinto: saber o que acontece no mundo. Seria bom se você pudesse assistir ou ler jornal, porém como eu não tinha tanto tempo, eu comprei durante três ano o Almanaque da Abril. É um livro que a Abril lança no começo do ano, onde contém os acontecimentos mais importantes do ano passado e ótimos resumos sobre política, história, geografia, atualidades e afins. Vale a pena investir. Quando eu comprava, custava entre 40 a 50 reais. Da última vez que e comprei, além do livro vinha uma senha de acesso ao conteúdo digital deles. Muito bom.

♥ Sexto: trabalhe com resumos feitos por você. Eles vão quebrar um galho enorme no período de revisão. 

Qualquer dúvida ou pergunta, só me procurar na page do blog lá no Facebook ou no meu perfil pessoal. Eu garanto que se vocês pegarem essas dicas e adaptarem ao modo de vida de vocês –  pois cada um tem um ritmo diferente e afazeres diferentes – o aproveitamento vai ser maior e o resultados serão ainda melhores. Boa sorte para todo mundo que está na luta, força sempre e não desistam! ♥

Por fim, porém não menos importante, eu gostaria de dedicar o post aos meus amigos que vão enfrentar o vestibular esse ano: Bia, Gio e Rob, não tem para concorrência esse ano. ♥

As ilustrações do Luis Quiles.

Hoje pela manhã eu estava no Facebook, rolando o feed de notícias como quem não quer nada quando topei com uma publicação de um ex professor meu. A publicação se tratava de algumas ilustrações, que até então eu não sabia nada sobre – autor, origem, proposta, essas coisas. Eu comecei a ver as imagens e, de início, eu me senti muito confusa sobre o que cada imagem queria dizer. As ilustrações falam muito e eu creio que cada pessoa as enxerga de acordo com a sua visão de mundo. Apesar de não precisar de legenda, meu professor legendou a publicação como “Imagens impactantes. A realidade nua e crua… Vale refletir!” já eu me restringi a escrever “forte”. Assédio, política, comportamento, preconceito, tabus, sofrimento, opressão, prostituição, religião, agressão, r e a l i d a d e. A sensação de engasgo não me deixou desde então. As imagens te dão um choque de realidade. Perdão a redundância, mas são coisas que todos nós temos consciência, mas não somos conscientes, se é que vocês entendem. Reflexão, compreensão e revolta. Essas imagens representam a luta diária de milhares e milhares de pessoas. A pergunta que não me sai da cabeça é: o que eu faço diante de tudo isso? E o que você faz? Já se perguntou também?

Eu dei “googlada” e descobri que as imagens pertencem ao ilustrador espanhol Luis Quiles. À quem interessar a página oficial dele no Facebook é ESSA.