♥ O melhor de Fevereiro ♥

melhoresdomesFinalmente consegui fazer o post do mês e não “dos meses”. Parece que alguém aqui anda mais organizada, não é mesmo? Tsc-tsc!

Sem mais delongas, vamos a lista do que eu li, vi e ouvi no mês de fevereiro.

  1. Precisamos falar sobre a vaidade na vida acadêmica.
  2. Um brinde para a genialidade de Caio Fernando de Abreu.
  3. https://www.youtube.com/watch?v=Zt83jIEE4cs
  4. https://www.youtube.com/watch?v=hrDjLUdA6LE
  5. Planner Mensal – para organizar os estudos/tarefas/VIDA
  6. O snapchat do Pe. Fábio de Melo (@fabiodemelo3) ❤
  7. O filme Divertidamente. ❤ SE VOCÊ NUNCA VIU ESSE FILME, ASSISTA E ME CHAME PARA CHORARMOS JUNTOS. Só isso que eu queria dizer mesmo. divertida mente jk
  8. Parem de ser mimados e lutem pelos seus relacionamentos. Esse aqui é o “tapa-na-cara” do mês.

 

 

Anúncios

♥ O melhor de novembro/dezembro/janeiro ♥

melhoresdomes

Vi muita coisa legal nesses últimos três meses, mas a inteligência rara aqui não salvou os links. O que isso significa? Significa que, nesse momento que escrevo, estou tentando lembrar de algo e, claro, estou falhando miseravelmente.

16 maneiras de NÃO SER BABACA em 2016

LEIA ESSE TEXTO! Não é um pedido, é uma ordem. Vale muito a pena. Leia. LEIA!

Crazy – Daniela Andrade

Se você conhece essa música, escuta essa versão. Se você não conhece essa música, ESCUTA ESSA VERSÃO E A ORIGINAL POR FAVOR!!!

Chuva de Amor

Uma lição de vida. ❤

Se você não sabe onde está, não carregue o outro para dentro de você

Tolkien e os contos de fadas | RE:VIEW #22

Se você é cristão, provavelmente vai gostar não só do vídeo, mas do canal também. Bem, mesmo não sendo cristã-protestante, eu adoro os meninos. Eles são muito bons e os vídeos tem uma riqueza literária/intelectual/teologica incrível. Por esses motivos, vou colocar mais um link, do último review deles. Eu poderia indicar vários vídeos, mas indico logo o canal porque lá tem muita coisa boa, principalmente as indicações bibliográficas que o Felipe e o Yago fazem. Agora tem esse rapaz carismático, o Rafael. Por sinal, escolhi justamente os reviews que ele participa para postar aqui. Se você gosta de ler sobre Teologia, fica a dica.

A Era de T. S. Eliot | RE:VIEW #24

5 coisas que aprendi na faculdade – mas valem para a vida

Calendários 2016 para baixar e imprimir

“A Senhora lacra, mulher” O ativismo narcisista e a escuta autoritária

Dá para perceber que eu não consegui lembrar de muita coisa, não é? Mas tem até bastante coisa aí, e bastante coisa boa.

Direito: minhas primeiras impressões ♥ Parte I

DSCF8522

Desde que eu entrei na faculdade, sabe-se lá o porquê, um número significativo de pessoas me procura para esclarecer algumas dúvidas sobre o curso de Direito. É amigo, é amigo de amigo, é primo, é namorada de primo, é desconhecido que ouviu falar de mim através de uma tia, gente que lê o blog e por aí vai. Baseada nisso e levando em consideração que o blog tem como finalidade, também, expor informações que venham a ser úteis, eu resolvi trazer as minhas primeiras impressões sobre o curso.

Primeiro semestre ou como a gente carinhosamente chama lá na FFB, S1:

O primeiro período do curso de Direito – pelo menos na minha faculdade e nas que eu tenho conhecimento – é essencialmente introdutório. O que isso significa? Significa que você vai cursar disciplinas básicas como Filosofia, Antropologia e Sociologia. E não, nada de muito novo, para falar a verdade. Você vai ler Aristóteles, Platão, Tomás de Aquino, Marx, Foucault, Sócrates, Hobbes, Rousseau etc. Todos já são velhos conhecidos nossos lá do ensino médio, pelo menos assim espero. Eu tive Sociologia e Antropologia no segundo semestre, mas os detalhes desse ficam para a segunda parte do post. No meu caso, o primeiro contato com Direito propriamente dito foi nas disciplinas de Ciência Política e Teoria do Estado e Organização Institucional do Estado. A impressão que você tem, inicialmente, é que está estudando um Constitucional basicão. E, de certa forma, é isso mesmo. São nessas disciplinas que nós temos o primeiro contato com a Constituição Federal.

Eu diria que a disciplina mais “do Direito” seria, porém, Conceitos Jurídicos Fundamentais – em todas as outras faculdades essa disciplina se chama Introdução ao Estudo do Direito, sabe-se lá o porquê a minha resolveu inovar. É onde nós vamos ser, como já diz o próprio nome, introduzidos ao estudo jurídico. Nomenclaturas antes nunca vistas e o primeiro contato com a doutrina. É aqui que entra na sua vida Hans Kelsen, Miguel Reale, Paulo Nader, Bobbio e muitos outros carinhas às vezes um pouco complicados de entender – Kelsen taí para provar isso. Foi em Conceitos que eu tive contato com o meu primeiro caso, o clássico Caso dos Exploradores de Caverna – que se você tiver curiosidade, é um livro de autoria do Lon L. Fuller – onde o caso deveria ser apresentado em forma de júri simulado. O meu primeiro e inesquecível júri, onde fui membro da promotoria ao lado de duas grandes amigas. Por sinal, nós conseguimos a condenação dos réus e nota máxima no trabalho.

Tive uma cadeira de Linguagem e Produção Textual, que é… português. Uma espécie de revisão e preparação para o conhecimento da linguagem jurídica, mas nada muito técnico ainda, sabe? Também tive Ética e Pensamento Filosófico que não é nada além de Filosofia Geral e eu já falei dela lá em cima.

Quase esqueço de Teoria do Direito e Epistemologia Jurídica, que é uma disciplina que exige MUITA leitura. É trabalhada a construção científica do Direito, o conceito de justiça, a ciência do Direito como teoria de interpretação, noções de argumentação e a relação do Direito com as outras ciências. Eu tive contato com as obras do Ihering, do Beccaria, Rousseau e vários outros. Essa é uma disciplina que daria uma conversa de horas. Talvez seja a minha preferida do primeiro período, mas só talvez. ❤

De uma forma bem geral, eu acredito que seja um dos semestres – se não o semestre – mais teóricos do curso. Porque o contato com casos é mínimo e você tem quase nenhuma noção das leis. Isso talvez seja difícil para alguns que escolhem o curso achando que vão ter muitos casos para resolver assim, de cara, sabe? Às vezes alguns se desiludem ali mesmo e desistem. Eu vos digo, queridos: persistam! O melhor está por vir. ❤

A continuação vocês acompanham na segunda parte do post.

Fortalezando: Dragão do Mar

Com visita marcada e companhias para lá de especiais, fui ao Centro de Arte e Cultura Dragão do Mar, ali pertinho da Praia de Iracema. Já conhecida a noite do Dragão, que, por sinal, é para todos, e quando digo todos é TODOS mesmo. Acho que se me pedissem para resumir o local em uma palavra seria diversidade. As fotos foram feitas, na verdade, para um trabalho do curso de Jornalismo de uma amiga muito querida. Dessa forma, não são todas de minha autoria. Mas é claro que eu aproveitei e resolvi fazer post aqui no BCH. A ideia era fotografar a arquitetura do lugar. Meus eternos agradecimentos a Lívia Lira, pelo convite, e a Rafa Palhano, pela companhia.

Quanto ao local: já expliquei no post anterior do projetinho “Fortaleando” que as fotos serão expositivas. Tento falar o mínimo possível. O ideal mesmo é que as pessoas sintam curiosidade em conhecer os locais – e Fortaleza como um todo – através das fotos. Porque nós bem já sabemos: uma imagem vale mais que mil palavras.

Não esqueçam de conhecer a cidade de forma compartilhada. Usem a hashtag #Fortalezando nas redes sociais!

♥ O melhor de julho na internet ♥

melhoresdomesSempre que eu encontro algum texto, música, teoria, vídeo, coisa legal na internet, corro para compartilhar com algum amigo. Não consigo achar algo muito legal e ficar com aquilo só para mim, preciso sempre ter alguém para conversar sobre. Foi baseada na mania que eu resolvi fazer o melhor do mês. Vai ser um post mensal (dã!) e vai reunir os meus achadinhos na internet do respectivo mês. Eu não garanto que as coisas serão todas atuais, pode ser algo de maio que eu só conheci em julho, mas que vou compartilhar mesmo assim. E, sim, eu sei que o post tá um tiquinho atrasado, mas é início de semestre, acabei de voltar das férias e a minha vida já está uma loucura. Julho 2015 rendeu apenas 7 links, mas vale a pena conferir!

1. O alto preço de viver longe de casa.

2. Teoria da PIXAR – Nostalgia.

3. ‘Google Opinion Rewards’ chega ao Brasil e permite que você adquira apps caros sem gastar nada.

4. Se as novelas fossem em Fortaleza… 

5. Se você acha que é pobre, leia esse post.

6. 4 esteriótipos femininos na mídia que você provavelmente não tinha notado 

7. Socorro, não consigo mais ler livros

Como se organizar durante o ano de pré-vestibular

Quem me conhece sabe que o meu ensino médio foi uma verdadeira batalha travada contra o vestibular, mais precisamente, contra o ENEM. Eu prestei ENEM três vezes, duas como treineira e uma para valer. Desde que eu me entendo por gente, sonho em cursar Direito e eu lutei muito por esse sonho. De início, eu queria muito, muito mesmo, cursar Direito na Federal do Ceará. Só que, infelizmente, não rolou. Mesmo não conseguindo a tão sonhada aprovação na UFC, eu consegui ser aprovada em Direito na Estadual do RN e em duas particulares. Entre as três aprovações, eu optei por cursar Direito na Faculdade Farias Brito em Fortaleza e estou satisfeitíssima. Se você não acredita em Deus, eu acredito e acredito que ele escreva mesmo certo por linhas tortas. Enfim, o post não é sobre o rumo da minha vida acadêmica, é sobre como eu me preparei para iniciar uma. No colégio eu era bem conhecida pela forma como eu organizava os meus estudos. Graças a Nat, minha grande mentora no mundo do pré-vestibular, eu aprendi a ter horários bem definidos, o que foi de grande importância para as minhas aprovações. Desde o primeiro ano do ensino médio eu tinha a minha rotina bem definida e pautada naquilo que eu mais tinha dificuldade (exatas, claro). Então, vai algumas dicas para quem está na batalha:


♥ Primeiro: eu tinha dois cadernos para o colégio. Um para humanas, linguagens e redação. Outro para exatas e biológicas. A divisão me ajudou muito.

♥ Segundo: eu trabalhava com o esquema “aula dada, aula revisada”. Vocês podem reparar no meu horário (disponível aqui) que a cada aula que eu tinha no dia, eu reservava uma hora para revisar o que nela fora dado.

♥ Terceiro: como eu tinha dificuldade em Matemática, Química e Física, todos os dias eu estudava junto com um professor particular (e eu tinha o melhor <3) pelo menos uma das três disciplinas. Esse estudo era baseado em resolução de exercício, ele explicava a matéria, passava lista e, no que eu tinha dificuldade, ele me ajudava. O bom de ter um professor fora do colégio é que você tem a oportunidade de ver a mesma matéria de ângulos diferentes, já que as metodologias sempre são diferentes. Para quem não pode pagar professor particular, eu indico o Descomplica (grande salvador da pátria) <3! Sai bem mais em conta. Eu usei o Descomplica por dois anos e, pelo menos para mim, foi o grande diferencial. Eu indico, principalmente, para quem precisa de uma super força em redação, linguagens e humanas. Aulas diárias, monitoria, MELHORES PROFESSORES EVER, alegria e descontração – o que é muito importante no ano de pré.

♥ Quarto: fazer exercícios. É o mais importante. A fixação do conteúdo acontece na prática, então quanto mais questões você puder fazer, melhor será o seu rendimento. RESOLVA EXERCÍCIOS. Everyday. Everynight. Everywhere. Eu super indico o Projeto Medicina para quem não tem muitos exercícios. Eles disponibilizam listas grátis, é só baixar e imprimir.

♥ Quinto: saber o que acontece no mundo. Seria bom se você pudesse assistir ou ler jornal, porém como eu não tinha tanto tempo, eu comprei durante três ano o Almanaque da Abril. É um livro que a Abril lança no começo do ano, onde contém os acontecimentos mais importantes do ano passado e ótimos resumos sobre política, história, geografia, atualidades e afins. Vale a pena investir. Quando eu comprava, custava entre 40 a 50 reais. Da última vez que e comprei, além do livro vinha uma senha de acesso ao conteúdo digital deles. Muito bom.

♥ Sexto: trabalhe com resumos feitos por você. Eles vão quebrar um galho enorme no período de revisão. 

Qualquer dúvida ou pergunta, só me procurar na page do blog lá no Facebook ou no meu perfil pessoal. Eu garanto que se vocês pegarem essas dicas e adaptarem ao modo de vida de vocês –  pois cada um tem um ritmo diferente e afazeres diferentes – o aproveitamento vai ser maior e o resultados serão ainda melhores. Boa sorte para todo mundo que está na luta, força sempre e não desistam! ♥

Por fim, porém não menos importante, eu gostaria de dedicar o post aos meus amigos que vão enfrentar o vestibular esse ano: Bia, Gio e Rob, não tem para concorrência esse ano. ♥

Para curtir, curtir e curtir!

Se existe uma coisa que eu gosto mais do que procurar páginas legais no Facebook, é achar páginas legais no Facebook. Gosto tanto que geralmente compartilho – quem nunca foi nos comentários, marcou a pessoa junto de um “<3” ou um “Haha” que atire a primeira pedra, por favor.
Se tem uma coisa que eu gosto mais do que tudo que eu já citei anteriormente, é fazer listas. Então resolvi unir o útil ao agradável e listar as melhores páginas que eu curto lá no site do amigo Zuckerberg.  

Porque um tiquinho de veneno e bom humor vezenquando não mata ninguém, não é?
Pois bem, o Fofurinhas segue a linha indiretas e é só sinceridades.  
 












Essa aqui tem o meu coração inteiro e mais um pouco de tão amorzinho que é. É uma reprodução do projeto “Humans of New York”, o projeto é realizado para disciplina de Fotojornalismo e a página é mantida por alunos do curso de Jornalismo da UFC, em Fortaleza. Traz fotos e depoimentos curtos de estranhos, impossível não se emocionar, gente.
 

“A gente se conhece desde o colégio. Nós começamos a namorar a partir das festas nos clubes que tinha naquela época, faremos 30 anos de casados no dia 19 de dezembro e temos três filhas.”

“E o que vocês mais gostam um no outro?”

“O que eu mais gosto nela… É a chatice! Não, o que eu mais gosto nela é a compreensão, a amizade, o amor, a convivência, tudo isso faz parte de um todo. É como se fosse um bolo, você tem que colocar vários ingredientes para fazer poder fazer uma coisa bonita.”

“O que eu mais gosto nele é o amor que ele tem pela família, ele é muito família, muito louco pelas filhas. Se for preciso, ele deixa de fazer algo por ele, para poder fazer pelas meninas, é um paizão mesmo. É um bom marido, claro, mas ele é mais paizão do que maridão. Ele também é muito sincero, quando algo está incomodando ele diz mesmo, essa coisa de dizer sempre a verdade.”

Para quem curte arte de rua é certo amor a primeira vista. A página traz registros fotográficos de pichação/grafite. A melhor parte é que qualquer pessoa pode enviar uma foto. Verdade nua e crua, sinceridade, desilusão, desabafo… Tem de tudo e é de todo mundo.












Eu descobri o projeto da Juliana têm alguns meses. Trata-se de uma série de fotos, tiradas diariamente, da praia de Copacabana (ah, Copacabana…!) As fotos possuem como legenda um adjetivo que caracterize a praia naquele retrato. O projeto da Juliana virou até livro. Ela também divulga o trabalho no instagram, confere lá.











É uma página que faz… Listas! Precisa falar mais alguma coisa?
Precisa. Porque são listas fofinhas e do bem. Foi barra escolher essas para colocar no post, por mim postava todas.












Para quem é bookaholic como eu, tem por obrigação conhecer essa página. Se você ainda não conhece, eu vos apresento e vos declaro marido e mulher. A vontade é de casar, eu sei. A página (também existe um site com o mesmo nome e a mesma finalidade) nos presenteia com dedicatórias de livros que também podem ser enviadas por qualquer pessoa. Só que há um bônus: não estão lá só as dedicatórias, mas as histórias por trás delas também. Só confiram, gogogo!
“paula,

o sol é para todos,
mas eu te dou
a minha parte.

você é a minha luz.

02/03/13
Thar”

pra ler a história: http://eutededico.com.br/post/99413416189/paula-o-sol-e-para-todos-mas-eu-te-dou-a-minha


Por último, porém… essa aqui já é bem conhecida, mas acho injusto não colocá-la na listinha. Feita para você marcar os seus amigos, o seu amor e até quem não é tão chegado mas se encaixa na indireta. O nome já é auto explicativo, então fica uma prévia com (algumas d)as minhas preferidas.