Rory Gilmore Books Project

il_fullxfull.1037105162_hs5o

Comecei a assistir Gilmore Girls um dia desses, por indicação de uma amiga que já disse incontáveis vezes que me acha muito parecida com a Rory. Devo confessar que rolou uma empatia logo no primeiro episódio. Mas não estou aqui para falar o quanto somos parecidas, tô aqui para assumir publicamente o projeto de leitura da Rory.

tile-gilmore.jpg

♥ O  Rory Gilmore Books Project:

É um projeto que propõe a leitura de todos os livros que Rory leu durante a série, uma espécie de “clube do livro da Rory”. Resolvi aderir o projeto, até porque nele constam vários títulos que desejo ler. A tal lista contém 340 livros, segue a abaixo:

1. 1984 – George Orwell
2. As Aventuras de Huckleberry Finn – Mark Twain
3. Alice no País das Maravalhas – Lewis Carroll
4. As Incríveis Aventuras de Kavalier & Clay – Michael Chabon
5. Uma Tragédia Americana – Theodore Dreiser
6. As Cinzas de Ângela – Frank McCourt
7. Anna Karenina – Leon Tolstoy
8. O Diário de Anne Frank – Anne Frank
9. The Archidamian War – Donald Kagan
10. A Arte da Ficção – Henry James
11. A Arte da Guerra – Sun Tzu
12. Enquanto Agonizo – William Faulkner
13. Reparação – Ian McEwan
14. Autobiography of a Face – Lucy Grealy
15. The Awakening – Kate Chopin
16. Babe – Dick King-Smith
17. Backlash: The Undeclared War Against American Women – Susan Faludi
18. Balzac e a Costureirinha Chinesa – Dai Sijie
19. Bel Canto – Ann Patchett
20. A Redoma de Vidro – Sylvia Plath
21. Amada – Toni Morrison
22. Beowulf: A New Verse Translation – Seamus Heaney
23. Bagavadguitá
24. Os Irmãos Bielski – Peter Duffy
25. Bitch in Praise of Difficult Women – Elizabeth Wurtzel
26. A Bolt from the Blue and Other Essays – Mary McCarthy
27. Admirável Mundo Novo – Aldous Huxley
28. Um Lugar Chamado Brick Lane – Monica Ali
29. Brigadoon – Alan Jay Lerner
30. Cândido – Voltaire
31. Os Cantos de Cantuária – Chaucer
32. Carrie, A Estranha – Stephen King
33. Ardil 22 – Joseph Heller
33. O Apanhador no Campo de Centeio – J. D. Salinger
35. A Teia de Charlotte – E. B. White
36. The Children’s Hour – Lillian Hellman
37. Christine – Stephen King
38. Um Conto de Natal – Charles Dickens
39. Laranja Mecânica – Anthony Burgess
40. The Code of the Woosters – P.G. Wodehouse
41. The Collected Stories – Eudora Welty
42. A Comédia dos Erros – William Shakespeare
43. Complete Novels – Dawn Powell
44. The Complete Poems – Anne Sexton
45. Complete Stories – Dorothy Parker
46. Uma Confraria de Tolos – John Kennedy Toole
47. O Conde de Monte Cristo – Alexandre Dumas
48. A Vingança de Bette – Honoré de Balzac
49. Crime e Castigo – Fiodor Dostoievski
50. Pétala Escarlate, Flor Branca – Michel Faber
51. As Bruxas de Salém – Arthur Miller
52. Cão Raivoso – Stephen King
53. O Estranho Caso do Cão Morto – Mark Haddon
54. Filha da Fortuna – Isabel Allende
55. David e Lisa – Dr Theodore Issac Rubin M.D
56. David Copperfield – Charles Dickens
57. O Código da Vinci – Dan Brown
58. Almas Mortas – Nikolai Gogol
59. Os Demônios – Fiodor Dostoievski
60. A Morte de Um Caixeiro-Viajante – Arthur Miller
61. Deenie – Judy Blume
62. The Devil in the White City: Murder, Magic, and Madness at the Fair that Changed America – Erik Larson
63. The Dirt: Confessions of the World’s Most Notorious Rock Band – Tommy Lee, Vince Neil, Mick Mars e Nikki Sixx
64. A Divina Comédia – Dante Alighieri
65. Divinos Segredos – Rebecca Wells
66. Dom Quixote de La Mancha – Miguel Cervantes
67. Conduzindo Miss Daisy – Alfred Uhry
68. O Médico e o Monstro – Robert Louis Stevenson
69. Edgar Allan Poe: Complete Tales & Poems – Edgar Allan Poe
70. Eleanor Roosevelt – Blanche Wiesen Cook
71. O Teste do Ácido do Refresco Elétrico – Tom Wolfe
72. Ella Minnow Pea: A Novel in Letters – Mark Dunn
73. Eloise – Kay Thompson
74. Emily, the Strange: Os Dias Perdidos – Roger Reger
75. Emma – Jane Austen
76. Empire Falls – Richard Russo
77. Encyclopedia Brown: Boy Detective – Donald J. Sobol
78. Ethan Frome – Edith Wharton
79. Ética – Spinoza
80. Europe through the Back Door, 2003 – Rick Steves
81. Eva Luna – Isabel Allende
82. Tudo se Ilumina – Jonathan Safran Foer
83. Extravagance – Gary Krist
84. Fahrenheit 451 – Ray Bradbury
85. Fahrenheit 9/11 – Michael Moore
86. The Fall of the Athenian Empire – Donald Kagan
87. Fat Land: How Americans Became the Fattest People in the World – Greg Critser
88. Medo e Delírio em Las Vegas – Hunter S. Thompson
89. A Sociedade do Anel – J. R. R. Tolkien
90. Um Violinista no Telhado – Joseph Stein
91. As Cinco Pessoas que Você Encontra no Céu – Mitch Albom
92. Finnegan’s Wake – James Joyce
93. Fletch Venceu – Gregory McDonald
94. Flowers for Algernon – Daniel Keyes
95. The Fortress of Solitude – Jonathan Lethem
96. A Nascente – Ayn Rand
97. Frankenstein – Mary Salinger
98. Franny e Zooey – J. D. Salinger
99. Sexta-Feira Muito Louca – Mary Rodgers
100. Galápagos – Kurt Vonnegut
101. Gender Trouble – Judith Butler
102. George W. Bushism: The Slate Book of the Accidental Wit and Wisdom of our 43rd President – Jacob Weisberg
103. Gidget – Frederick Kohner
104. Garota, Interrompida – Susanna Kaysen
105. Os Evangelhos Gnósticos – Elaine Pagels
106. O Poderoso Chefão: Lvro 1 – Mario Puzo
107. O Deus das Pequenas Coisas – Arundhati Roy
108. Cachinhos Dourados e os Três Ursos – Alvin Granowsky
109. E o Vento Levou – Margaret Mitchell
110. O Bom Soldado – Ford Maddox Ford
111. The Gospel According to Judy Bloom – Judy Bloom
112. A Primeira Noite de um Homem – Charles Webb
113. As Vinhas da Ira – John Steinbeck
104. O Grande Gatsby – F. Scott Fitzgerald
115. Grandes Esperanças – Charles Dickens
116. O Grupo – Mary McCarthy
117. Hamlet – William Shakespeare
118. Harry Potter e o Cálice de Fogo – J.K Rowling
119. Harry Potter e a Pedra Filosofal – J.K Rowling
120. A Heartbreaking Work of Staggering Genius – Dave Eggers
121. O Coração das Trevas – Joseph Conrad
122. Helter Skelter: The True Story of the Manson Murders – Vincent Bugliosi e Curt Gentry
123. Henry IV, parte I – William Shakespeare
124. Henry IV, parte II – William Shakespeare
125. Henry V – William Shakespeare
126. Alta Fidelidade – Nick Hornby
127. A História do Declínio e Queda do Império Romano – Edward Gibbon
128. Holidays on Ice: Stories – David Sedaris
129. The Holy Barbarians – Lawrence Lipton
130. Casa de Areia e Névoa – Andre Dubus III
131. A Casa dos Espíritos – Isabel Allende
132. Como Respirar Debaixo D’Água – Julie Orringer
133. Como o Grinch Roubou o Natal – Dr. Seuss
134. How the Light Gets In – M. J. Hyland
135. Uivo – Allen Ginsberg
136. O Corcunda de Notre Dame – Victor Hugo
137. A Ilíada – Homero
138. Confissões de uma Groupie: I’m With the Band – Pamela des Barres
139. A Sangue Frio – Truman Capote
140. Inferno – Dante Alighieri
141. O Vento Será tua Herança – Jerome Lawrence e Robert E. Lee
142. Ironweed – William J. Kennedy
143. It Takes a Village – Hillary Rodham Clinton
144. Jane Eyre – Charlotte Bronte
145. O Clube da Sorte da Alegria – Amy Tan
146. Júlio César – William Shakespeare
147. A Célebre Rã Saltadora do Condado de Cavaleras – Mark Twain
148. A Selva – Upton Sinclair
149. Just a Couple of Days – Tony Vigorito
150. Os Últimos Dias dos Romanov – Robert Alexander
151. Cozinha Confidencial: Uma Aventura nas Entranhas da Culinária* – Anthony Bourdain
152. O Caçador de Pipas – Khaled Hosseini
153. O Amante de Lady Chatterley – D. H. Lawrence
154. The Last Empire: Essays 1992-2000 – Gore Vidal
155. Folhas de Relva – Walt Whitman
156. Lendas da Vida – Steven Pressfield
157. Menos que Zero* – Bret Easton Ellis
158. Cartas a um Jovem Poeta – Rainer Maria Rilke
159. Lies and the Lying Liars Who Tell Them – Al Franken
160. A Vida de Pi – Yann Martel
161. A Pequena Dorrit* – Charles Dickens
162. The Little Locksmith – Katharine Butler Hathaway
163. A Pequena Vendedora de Fósforos – Hans Christian Andersen
164. Mulherzinhas – Louisa May Alcott
165. Vivendo a História – Hillary Rodham Clinton
166. O Senhor das Moscas – William Golding
167. The Lottery: And Other Stories – Shirley Jackson
168. Um Olhar do Paraíso – Alice Sebold
169. Love Story: Uma História de Amor – Erich Segal
170. Macbeth – William Shakespeare
171. Madame Bovary – Gustave Flaubert
172. The Manticore – Robertson Davies
173. A Maratona da Morte – William Goldman
174. O Mestre e Margarida – Mikhail Bulgakov
175. Memórias de uma Moça Bem Comportada – Simone de Beauvoir
176. Memoirs of General W. T. Sherman – William Tecumseh Sherman
177. Eu Falar Bonito Um Dia – David Sedaris
178. The Meaning of Consuelo – Judith Ortiz Cofer
179. Mencken’s Chrestomathy – H. R. Mencken
180. As Alegres Matronas de Windsor – William Shakespeare
181. A Metamoforse – Franz Kafka
182. Middlesex – Jeffrey Eugenides
183. O Milagre de Anne Sullivan – William Gibson
184. Moby Dick – Herman Melville
185. The Mojo Collection: The Ultimate Music Companion – Jim Irvin
186. Moliere: A Biography – Hobart Chatfield Taylor
187. A Monetary History of the United States – Milton Friedman
188. Senhor Proust – Celeste Albaret
189. A Month Of Sundays: Searching For The Spirit And My Sister – Julie Mars
190. Paris é uma Festa – Ernest Hemingway
191. Mrs. Dalloway – Virginia Woolf
192. Mutiny on the Bounty – Charles Nordhoff e James Norman Hall
193. My Lai 4: A Report on the Massacre and Its Aftermath – Seymour M. Hersh
194. My Life as Author and Editor – H. R. Mencken
195. My Life in Orange: Growing Up with the Guru – Tim Guest
196. Myra Waldo’s Travel and Motoring Guide to Europe, 1978 – Myra Waldo
197. Uma Prova de Amor – Jodi Picoult
198. Os Nus e os Mortos – Norman Mailer
199. O Nome da Rosa – Umberto Eco
200. O Xará – Jhumpa Lahiri
201. The Nanny Diaries – Emma McLaughlin
202. Nervous System: Or, Losing My Mind in Literature – Jan Lars Jensen
203. New Poems of Emily Dickinson – Emily Dickinson
204. The New Way Things Work – David Macaulay
205. Miséria à Americana: vivendo de subemprego nos Estados Unidos – Barbara Ehrenreich
206. A Noite – Elie Wiesel
207. A Abadia de Northanger – Jane Austen
208. The Norton Anthology of Theory and Criticism – William E. Cain, Laurie A. Finke, Barbara E. Johnson, John P. McGowan
209. Novels 1930-1942: Dance Night/Come Back to Sorrento, Turn, Magic Wheel/Angels on Toast/A Time to be Born– Dawn Powell
210. Notas de um Velho Safado – Charles Bukowski
211. Sobre Ratos e Homens – John Steinbeck
212. Meus Dias de Escritor – Tobias Wolff
213. On the Road: Pé na Estrada – Jack Kerouac
214. Um Estranho no Ninho – Ken Kesey
215. Cem Anos de Solidão – Gabriel Garcia Marquez
216. The Opposite of Fate: Memories of a Writing Life – Amy Tan
217. A Noite do Oráculo – Paul Auster
218. Oryx e Crake – Margaret Atwood
219. Otelo – Shakespeare
220. Our Mutual Friend – Charles Dickens
221. The Outbreak of the Peloponnesian War – Donald Kagan
222. Entre Dois Amores – Isak Dinesen
223. Vidas Sem Rumo – S. E. Hinton
224. Uma Passagem para a Índia – E. M. Forster
225. The Peace of Nicias and the Sicilian Expedition – Donald Kagan
226. As Vantagens de Ser Invisível – Stephen Chbosky
227. A Caldeira do Diabo – Grace Metalious
228. O Retrato de Dorian Gray – Oscar Wild
229. Pigs at the Trough – Arianna Huffington
230. Pinóquio – Carlo Collodi
231. Please Kill Me: The Uncensored Oral History of Punk – Legs McNeil e Gillian McCain
232. Frenesi Polissilábico – Nick Hornby
233. The Portable Dorothy Parker – Dorothy Parker
234. The Portable Nietzche – Fredrich Nietzche
235. The Price of Loyalty: George W. Bush – the White House, and the Education of Paul O’Neill – Ron Suskind
236. Orgulho e Preconceito – Jane Austen
237. Property – Valerie Martin
238. Pushkin: A Biography – T. J. Binyon
239. Pigmaleão – George Bernard Shaw
240. Quattrocento – James Mckean
241. A Quiet Storm – Rachel Howzell Hall
242. Rapunzel – Os Irmãos Grimm
243. O Corvo – Edgar Allan Poe
244. O Fio da Navalha – W. Somerset Maugham
245. Lendo Lolita em Teerã: Memórias de uma resistência literária – Azar Nafisi
246. Rebecca – Daphne du Maurier
247. Rebecca of Sunnybrook Farm – Kate Douglas Wiggin
248. The Red Tent – Anita Diamant
249. Rescuing Patty Hearst: Memories From a Decade Gone Mad – Virginia Holman
250. O Retorno do Rei – J. R. R. Tolkien
251. R Is for Ricochet – Sue Grafton
252. Rita Hayworth (conto publicado no Brasil no livro Quatro Estações) – Stephen King
253. Robert’s Rules of Order – Henry Robert
254. Roman Holiday – Edith Wharton
255. Romeu e Julieta – William Shakespeare
256. Um Teto Todo Seu – Virginia Woolf
257. Uma Janela para o Amor – E. M. Forster
258. O Bebê de Rosemary – Ira Levin
259. The Rough Guide to Europe – 2003 Edition
260. Sacred Time – Ursula Hegi
261. Santuário – William Faulkner
262. Savage Beauty: The Life of Edna St. Vincent Millay – Nancy Milford
263. Say Goodbye to Daisy Miller – Henry James
264. The Scarecrow of Oz – Frank L. Baum
265. A Letra Escarlate – Nathaniel Hawthorne
266. Seabiscuit: Alma de Herói – Laura Hillenbrand
267. O Segundo Sexo – Simone de Beauvoir
268. A Vida Secreta das Abelhas – Sue Monk Kidd
269. Secrets of the Flesh: A Life of Colette – Judith Thurman
270. Selected Hotels of Europe
271. Selected Letters of Dawn Powell: 1913-1965 – Dawn Powell
272. Razão e Sensibilidade – Jane Austen
273. Uma Ilha de Paz – John Knowles
274. Several Biographies of Winston Churchill
275. Sexus – Henry Miller
276. A Sombra do Vento – Carlos Ruiz Zafón
277. Os Brutos Também Amam – Jack Shaefer
278. O Iluminado – Stephen King
279. Sidarta – Hermann Hesse
280. S Is for Silence – Sue Grafton
281. Matadouro 5 – Kurt Vonnegut
282. Pequena Ilha – Andrea Levy
283. As Neves do Kilimanjaro e Outros Contos – Ernest Hemingway 284. Branca de Neve e Rosa Vermelha – Os Irmãos Grimm
285. Social Origins of Dictatorship and Democracy: Lord and Peasant in the Making of the Modern World – Barrington Moore
286. The Song of Names – Norman Lebrecht
287. Song of the Simple Truth: The Complete Poems of Julia de Burgos – Julia de Burgos
288. The Song Reader – Lisa Tucker
289. 31 Canções – Nick Hornby
290. Os Sonetos – William Shakespeare
291. Sonetos Portugueses – Elizabeth Barrett Browning
292. A Escolha de Sofia – William Styron
293. O Som e a Fúria – William Faulkner
294. Fala, Memória – Vladimir Nabokov
295. Curiosidade Mórbida: a ciência e a vida secreta dos cadáveres – Mary Roach
296. História da Minha Vida – Helen Keller
297. Um Bonde Chamado Desejo – Tennessee Williams
298. Stuart Little – E. B. White
299. O Sol Também se Levanta – Ernest Hemingway
300. No Caminho de Swann – Marcel Proust
301. Swimming with Giants: My Encounters with Whales, Dolphins and Seals – Anne Collett
302. Sybil – Flora Rheta Schreiber
303. Um Conto de Duas Cidades – Charles Dickens
304. Suave é a Noite – F. Scott Fitzgerald
305. Laços de Ternura – Larry McMurtry
306. Time and Again – Jack Finney
307. A Mulher do Viajante no Tempo – Audrey Niffenegger
308. Uma Aventura na Martinica – Ernest Hemingway
309. O Sol é para Todos – Harper Lee
310. Richard III – William Shakespeare
311. Laços Humanos – Betty Smith
312. O Processo – Franz Kafka
313. The True and Outstanding Adventures of the Hunt Sisters – Elisabeth Robinson
314. Truth & Beauty: A Friendship – Ann Patchett
315. A Última Grande Lição: o sentido da vida – Mitch Albom
316. Ulysses – James Joyce
317. Os Diários de Sylvia Plath (1950-1962) – Sylvia Plath
318. A Cabana do Pai Tomás – Harriet Beecher Stowe
319. Bondade – Carol Shields
320. O Vale das Bonecas – Jacqueline Susann
321. The Vanishing Newspaper – Philip Meyers
322. A Feira das Vaidades – William Makepeace Thackeray
323. O Livro do Disco. The Velvet Underground e Nico – Joe Harvard
324. As Virgens Suicidas – Jeffrey Eugenides
325. Esperando Godot – Samuel Beckett
326. Walden ou A Vida nos Bosques – Henry David Thoreau
327. Bambi – Felix Salten
328. Guerra e Paz – Leon Tolstoi
329. We Owe You Nothing, Punk Planet: The Collected Interviews – editado por Daniel Sinker
330. What Colour is Your Parachute? 2005 – Richard Nelson Bolles
331. O que terá acontecido a Baby Jane? – Henry Farrell
332. When the Emperor Was Divine – Julie Otsuka
333. Quem Mexeu no meu Queijo? – Spencer Johnson
334. Quem tem Medo de Virginia Woolf – Edward Albee
335. Wicked: A história não contada das Bruxas de Oz – Gregory Maguire 336. O Mágico de Oz – Frank L. Baum
337. O Morro dos Ventos Uivantes – Emily Bronte
338. Virtude Selvagem – Marjorie Kinnan Rawlings
339. O Ano do Pensamento Mágico – Joan Didion
340. A Bíblia Sagrada
*Título em Portugal

Legenda: em negrito os títulos que já li.

 

 

T. ♥

Anúncios

Para esse tal de dois mil e dezessete: atitude.

16118323_1219432474813642_1032393077_n

Parei de romantizar finais de ano. É indescritível a sensação de renovação que eles nos trazem, eu não discordo. Mas é apenas isso: sensação. Aquela máxima que diz: “o ano só muda se você muda” nunca me soou tão verdadeira.

Pois bem, chamem isso de vida adulta, de maturidade ou apenas de “cair na real”. Só chamem de alguma coisa. É isso que tenho feito nesses primeiros dias: nomeado coisas. As pessoas que quero comigo, as metas que vão sair do papel, onde eu quero chegar. Há dois anos atrás eu fiz a mesma coisa. À época, não possuía metade da percepção de realidade que tenho hoje, mas soube definir algumas coisas e, levando em consideração os resultados colhidos até então, até que defini bem. Há dois anos atrás joguei para escanteio um negócio chamado medo, me permitindo continuar apenas com o frio na barriga. Fiz as malas, contra o gosto da minha mãe, e saí da cidadela que nasci e me criei com um único desejo: o de ser grande. É ele que me motiva correr atrás dos sonhos que construí e carrego no mais íntimo do meu coração, os quais eu também partilho com os corações que me acolheram durante essas duas décadas de peleja nesse mundão de nós todos.

Atualmente, mais do que em nenhuma outra época da minha vida, tenho certeza que planejamento é fundamental para a concretização de algo, mas que sem atitude de nada serve. Não fique nessa de só listar sonhos e metas, entre na de riscá-los das suas listas. É tão prazeroso quanto. Eu garanto. E lembre-se: quando não se sabe onde quer ir, qualquer caminho serve. Saiba onde quer chegar.

 

T. ❤

#FotografeUmLivro

Comecei lá na page do blog, resolvi trazer para cá: um post fotográfico sobre livros. Na verdade já fiz posts nessa linhagem, só que com apenas um livro por vez. Dessa vez eu resolvi misturar os meus “flagras” literários e compartilhá-los com vocês.

Alguém arrisca adivinhar quais são os livros? ♥

Direito: minhas primeiras impressões ♥ Parte II

DSCF8522Passando o primeiro período, um semestre de muitas mudanças e adaptação, chega o segundo e não somos mais “bixos”, somos v e t e r a n o s. Não que isso mude muita coisa, mas, como a gente diz aqui no Ceará: dá uma moral!

Cursei as 6 disciplinas obrigatórias da grade. Tive Sociologia e Antropologia Jurídica que, para mim, foi a disciplina mais puxada do semestre. Pasmem! Exige muita, muita, muita leitura. Você provavelmente vai gastar muito marca texto com ela. A professora era bem rígida e cobrava muito da turma. Era uma disciplina de 4 créditos/72h, então a professora dividiu em duas partes: primeiro nós estudamos os antropólogos e depois os sociólogos. Tive contato com as obras da Thaís Luzia Colaço, com Marx, Foucault, Engels, Weber, Durkheim, Hegel, DaMatta  e vários outros.

Também tive História do Direito. O título é auto-explicativo, a disciplina vai tratar desde o surgimento do Direito até como ele se encontra atualmente. Ela vem de uma dimensão mundial até a realidade brasileira. Gostei muito, porque você entende como as coisas foram acontecendo e como os direitos foram conquistados através do tempo. Tem bastante leitura também, mas acho uma matéria bem leve e divertida de estudar se você gosta de História.

Falei no primeiro post que Leitura e Produção Textual era uma preparação para Linguagem Jurídica, lembram? Pois então! Em LPT, a gente “desenferruja” o português para poder estudar com todo gás Linguagem Jurídica, que não é nada muito além de português técnico. São nas aulas de LJ que nos é apresentado formalmente as expressões e os brocardos jurídicos. Você não vai aprender Latim, mas vai conhecer o básico e usá-lo frequentemente. Foi nessa disciplina que tive o primeiro contato com as peças processuais. Aprendi a escrever um parecer, a tão famosa petição inicial e entendi o que é e para que existe habeas corpus. Em Linguagem Jurídica, além do que a disciplina deve oferecer, temos o primeiro contato com processo. Por isso, meu conselho para quem ainda vai cursá-la é: faça TODAS as atividades que o professor passar. Valendo ponto ou não. Mesmo não sabendo por onde começar, tente. Não use esses modelos da internet, eu acho muito pouco autoral e, no final das contas, você não está fazendo muita coisa além de “copiar e colar”. No Direito primeiro você apanha, se desespera, acha que não dá para dissertar sobre tal assunto ou que tal caso não tem como ser resolvido e é aí que o fantástico acontece: você se pega escrevendo umas teses que vão te fazer pensar “nossa! Certeza que o juiz decidiria favorável ao meu cliente”. Persistência é o segredo, amigos. Faz parte do processo criativo/educacional. O crescimento é visível e isso vai te ajudar muito não só na faculdade, mas nos estágios. Sem contar que te dá uma boa base para cursar as cadeiras de processo.

Também cursei Direito Humanos. Cresci demais nessa cadeira. Foi a primeira vez que saí da faculdade e fui a campo pesquisar. Mas isso é assunto para outro post. Em DH eu entendi, obviamente, o que são Direitos Humanos, como eles estão “organizados” e quais são os meios de proteção dos mesmos. Se você gostar de Política Internacional/Direito Internacional como eu gosto, vai ser amor a primeira vista. Tem um pouco de Constitucional e História na disciplina. Minha professora trabalhou, um por um, os casos do Brasil no Sistema Interamericano de Direitos Humanos – os que foram só até a Comissão e todos os que chegaram a Corte. Estudei as estruturas dos órgãos internacionais de proteção dos Direitos Humanos e, juro para vocês, muita coisa passou a fazer sentido. Aproveitando a oportunidade, acho que essa é um das sensações mais fantásticas que o Direito possibilita aos seus acadêmicos: a de entender como o mundo funciona. Tudo passa a fazer sentido, a gente passa a entender as notícias que antes era um pouco confusas, a TV Justiça e a TV Senado não são mais canais que você passa direto, você assiste, concorda e até ri de alguns posicionamentos porque são contrários a sua posição doutrinária. Você entende.

Teve Direito Civil I, que é a disciplina que explora a parte geral do Código Civil. A impressão que eu tenho é a seguinte: Civil I é Conceitos Jurídicos Fundamentais aprofundado, detalhado e expandido. Para quem não sabe, Direito Civil é um ramo do Direito Privado. Direito Civil vai abordar contratos, falência, sucessão, questões de família etc. Por isso tem Direito Civil I, II, III, IV… E por aí vai. Deem atenção ao código, mas não esqueçam da doutrina. São muitos detalhes, então é uma disciplina que requer muita atenção.

Por último, porém não menos importante, a minha queridinha, a que faz o meu coração bater mais forte (Haha!): Direito Penal I – Teoria do Crime. ❤ Que disciplina, amigos! De longe, sem dúvidas, a mais cativante e a melhor de se estudar. Difícil? Bastante. Diferente de Direito Civil, – e os amantes da área cível que me perdoem – o Direito Penal é mais… prático. Requer, sim, muito conhecimento teórico, mas você consegue sentir mais… adrenalina. Direito Penal é um ramo do Direito Público e lida com a esfera criminal. Nessa cadeira eu aprendi, basicamente, sobre os elementos do crime, sobre os erros do crime, a quem e quando se pode imputar uma responsabilidade penal etc. Se você não cursou nada de Penal ainda, não deve estar entendendo 90% do que eu estou falando. Não se preocupe, é assim mesmo. A gente assiste aula e continua não entendendo. Por isso é essencial a leitura da doutrina e as tentativas de interpretação da lei seca. Sim, eu disse “tentativaS” porque ninguém entende lendo uma só vez. A relação dos alunos com DP é 8 ou 80. Ou você ama ou você odeia. Eu fico no primeiro time.

Quando entrei de férias do segundo semestre e voltei para casa, já dava até pitaco em casos alheios, porque eu já entendia de alguma coisa. Aliás, se você faz ou pretende fazer Direito, acostume-se: vai aparecer gente de todo canto, com problemas de todo jeito, pedindo sua opinião e perguntando se você já não pode resolvê-los. Ficar com cara de tacho porque não sabe de alguma coisa é super comum, não fique se achando burro – eu ficava, no começo, hoje tô de boas. Haha!

Qualquer dúvida, me escrevam! Pode ser nos comentários, na page, por e-mail (thaisdnj@hotmail.com). Prometo responder.

01 #Wishlist: I wish… BOOKS! ♥

fotografe um livro2

Uma amiga querida me deu a ideia de escrever uma listinha com os livros que quero ganhar esse ano. Resolvi fazer melhor: criar a listinha aqui no blog. Assim vocês, ela e até minha mãe, podem, sei lá, querer me presentear com algum. Nunca se sabe quando alguém vai resolver ser gentil, não é? Haha!

Na verdade, a lista é mais para eu poder me organizar mesmo. Eu tô querendo faz um tempo esses livros e espero que em 2016 consiga pelos menos comprá-los. São só “8”. Fui realista na hora de listá-los.

 

wishlist1

 

MINI-SINOPSE ♥

  “No ano que completei noventa anos, quis presentear-me com uma noite de amor louco com uma adolescente virgem”. E é assim, sem rodeios, que Gabriel García Márquez nos apresenta a história deste velho jornalista que escolhe a luxúria para provar a si mesmo, e ao mundo, que está vivo. Primeira obra de ficção do autor colombiano em dez anos, “Memória de Minhas Putas Tristes” desfia as lembranças de vida desse inesquecível e solitário personagem em mais um vigoroso livro de Gabriel García Márquez.

  • 02 ♥ A Arte de Argumentar

    Entrou para lista dos desejados quando passei a frequentar alguns encontros da Sociedade de Debates UFC e eles indicaram como leitura para quem quer aprender um pouco mais sobre retórica e argumentação. Já tentei ler em PDF (porque não tá $fácil$, amigos!), mas não encontrei na internet. Quero muito, muito ler. Estudar retórica e argumentação é até uma das metas do 101 coisas em 1001 dias.

MINI-SINOPSE ♥

 A argumentação está no cerne do funcionamento de nossa sociedade, em três níveis: político, midiático e profissional. Este livro se destina a estudantes dos primeiros anos da universidade, e tem o objetivo de ajudá-los a preparar-se melhor para exames e concursos, mas também para a vida profissional; é igualmente útil para profissionais já inseridos que desejem aperfeiçoar sua formação e professores do ensino médio.

MINI-SINOPSE ♥

A obra contém relatos de histórias do período em que a autora atuava como advogada “pro bono” em vários casos. Trata-se de um trabalho muito bonito e comovente, com casos que nos fazem refletir sobre a vida e todos os ensinamentos que estão à nossa disposição, mas que, na correria do dia-a-dia, não paramos para avaliar.

  • 04 ♥ V de Vingança

    Tem nem o que falar, gente. O filme é um dos meus preferidos da VIDA. Ainda não tive a oportunidade de ler a obra literária, por isso quero muito. Já vi ele lá na livraria Cultura e quase saí de lá chorando sem ele.

MINI-SINOPSE ♥

Londres. Cinco de novembro de 1997. Numa Inglaterra dominada por um regime totalitário, uma figura misteriosa chamada simplesmente V, usando vestimentas e uma máscara que evocam a imagem de um infame personagem histórico britânico, desponta no horizonte como a única chance de que haja liberdade novamente. Chegou a hora de alguém levantar a voz e dar um basta à situação vigente… Um verdadeiro marco na história da narrativa gráfica, V de Vingança é um hino à resistência e à necessidade de liberdade. Sua importância é tão grande que até hoje é apontada como uma das melhores publicações do gênero, tendo, inclusive, influenciado os irmãos Wachowski (criadores da trilogia Matrix) a produzir um excelente filme baseado na obra.

MINI-SINOPSE ♥

Obra-prima de Scott Fitzgerald, O Grande Gatsby é o romance americano definitivo sobre os anos prósperos e loucos que sucederam a Primeira Guerra Mundial. O texto de Fitzgerald é original e grandioso ao narrar a história de amor de Jay Gatsby e Daisy. Ela, uma bela jovem de Lousville e ele, um oficial da marinha no início de carreira. Apesar da grande paixão, Daisy se casa com o insensível, mas extremamente rico, Tom Buchanan. Com o fim da guerra, Gatsby se dedica cegamente a enriquecer para reconquistar Daisy. Já milionário, ele compra uma mansão vizinha à de sua amada em Long Island, promove grandes festas e aguarda, certo de que ela vai aparecer. A história é contada por um espectador que não participa propriamente do que acontece – Nick Carraway. Nick aluga uma casinha modesta ao lado da mansão do Gatsby, observa e expõe os fatos sem compreender bem aquele mundo de extravagância, riqueza e tragédia iminente.

MINI-SINOPSE ♥

Nesse segundo volume, a Autora se propõe a relatar experiências no exercício da advocacia “pro bono” e outras crônicas de situações cotidianas relativas aos direitos.

MINI-SINOPSE ♥

Quais São Nossos Deveres para com os outros como pessoas de uma sociedade livre? O governo deve taxar o rico para ajudar o pobre? O livre mercado é justo? Pode ser errado, às vezes, falar a verdade? Matar pode ser moralmente necessário? É possível, ou desejável, legislar sobre a moral? Os direitos individuais e o bem comum conflitam entre si? O curso “Justiça” de Michael J.Sandel é um dos mais populares e influentes na Universidade de Harvard. Quase mil alunos aglomeram-se no anfiteatro do campus para ouvir Sandel relacionar as grandes questões da filosofia política aos mais prosaicos assuntos do dia e, neste outono, a rede pública de televisão transmitirá uma série baseada em suas aulas. Justiça oferece aos leitores a mesma jornada empolgante que atrai os alunos de Harvard. Este livro é uma exploração investigativa e lírica do significado de justiça que convida os leitores de todas as doutrinas políticas a considerar as controvérsias familiares de maneira nova e iluminada. Ação afirmativa, casamento entre pessoas do mesmo sexo, suicídio assistido, aborto, serviço militar, patriotismo e protesto, os limites morais dos mercados — Sandel dramatiza o desafio de meditar sobre esses conflitos e mostra como uma abordagem mais firme da filosofia pode nos ajudar a entender a política, a moralidade e também nossas convicções. Justiça tem vida, provoca o raciocínio e é sábio — uma nova e essencial contribuição para a pequena prateleira dos livros que abordam, de forma convincente, as questões mais difíceis da nossa vida cívica.

  • 08 ♥ Coleção “As Grandes Ideias de Todos os Tempos” 

    Se não me engano, são 10 livros no total. Sou louca por eles por motivos de: parecem ser muito dinâmicos e falam de assuntos importantes e AS EDIÇÕES SÃO LINDAS. Não sei lidar. Eu gosto muito de ter os livros, mas gosto AINDA mais de livros em edições bonitas. Tipo aquelas dos livros da Jane Austen todos trabalhados em pano, sabe? Sofro muito nas livraria quando encontro. Sofro ainda mais com os preços. Vou colocar a sinopse e o link do Livro da Psicologia, porque se for colocar de todos o post fica muito extenso.

MINI-SINOPSE ♥

Seja ao candidatar-se a um novo emprego, buscar apoio para fobias ou compulsões, receber orientação sobre como melhorar o desempenho dos filhos na escola, a aplicação dos estudos da psicologia acompanham decisões e comportamentos a todo momento. Apesar disto, esta ciência ainda é uma área do conhecimento misteriosa para muitas pessoas. Muito além dos estudos de Freud e Jung, O Livro da Psicologia traz um panorama completo e detalhado sobre essa ciência da mente e do comportamento. Nele, a psicologia é abordada a partir de suas raízes filosóficas (desde as reflexões feitas por Descartes, ponto de partida da noção fundamental de subjetividade) e fisiológicas (com destaque para o neurologista francês Jean-Martin Charcot e seu diagnóstico dos mecanismos causadores da histeria). O entrelaçar dessas duas áreas permitiu que, em 1879, fosse dado o primeiro passo para a constituição da psicologia como ciência por meio da criação por Wilhelm Wundt do primeiro laboratório de psicologia experimental na Universidade de Leipzig, na Alemanha. O livro segue a mesma proposta de conteúdo e projeto gráfico de O Livro da Filosofia. Seguido de uma perspectiva cronológica, e com o apoio de esquemas e gráficos, a publicação destaca autores e contextualiza suas descobertas, traz um glossário, com os principais termos e teorias, além de conter um capítulo dedicado a apresentar os cientistas e psicólogos que ajudaram a aprofundar o conhecimento desenvolvido ao longo das décadas. O Livro da Psicologia é o mais atualizado livro sobre o tema, uma obra que despertará reflexões, destruirá preconceitos e instigará o leitor a buscar o autoconhecimento.

Me adicionem lá no Skoob!  ❤ 

Direito: minhas primeiras impressões ♥ Parte I

DSCF8522

Desde que eu entrei na faculdade, sabe-se lá o porquê, um número significativo de pessoas me procura para esclarecer algumas dúvidas sobre o curso de Direito. É amigo, é amigo de amigo, é primo, é namorada de primo, é desconhecido que ouviu falar de mim através de uma tia, gente que lê o blog e por aí vai. Baseada nisso e levando em consideração que o blog tem como finalidade, também, expor informações que venham a ser úteis, eu resolvi trazer as minhas primeiras impressões sobre o curso.

Primeiro semestre ou como a gente carinhosamente chama lá na FFB, S1:

O primeiro período do curso de Direito – pelo menos na minha faculdade e nas que eu tenho conhecimento – é essencialmente introdutório. O que isso significa? Significa que você vai cursar disciplinas básicas como Filosofia, Antropologia e Sociologia. E não, nada de muito novo, para falar a verdade. Você vai ler Aristóteles, Platão, Tomás de Aquino, Marx, Foucault, Sócrates, Hobbes, Rousseau etc. Todos já são velhos conhecidos nossos lá do ensino médio, pelo menos assim espero. Eu tive Sociologia e Antropologia no segundo semestre, mas os detalhes desse ficam para a segunda parte do post. No meu caso, o primeiro contato com Direito propriamente dito foi nas disciplinas de Ciência Política e Teoria do Estado e Organização Institucional do Estado. A impressão que você tem, inicialmente, é que está estudando um Constitucional basicão. E, de certa forma, é isso mesmo. São nessas disciplinas que nós temos o primeiro contato com a Constituição Federal.

Eu diria que a disciplina mais “do Direito” seria, porém, Conceitos Jurídicos Fundamentais – em todas as outras faculdades essa disciplina se chama Introdução ao Estudo do Direito, sabe-se lá o porquê a minha resolveu inovar. É onde nós vamos ser, como já diz o próprio nome, introduzidos ao estudo jurídico. Nomenclaturas antes nunca vistas e o primeiro contato com a doutrina. É aqui que entra na sua vida Hans Kelsen, Miguel Reale, Paulo Nader, Bobbio e muitos outros carinhas às vezes um pouco complicados de entender – Kelsen taí para provar isso. Foi em Conceitos que eu tive contato com o meu primeiro caso, o clássico Caso dos Exploradores de Caverna – que se você tiver curiosidade, é um livro de autoria do Lon L. Fuller – onde o caso deveria ser apresentado em forma de júri simulado. O meu primeiro e inesquecível júri, onde fui membro da promotoria ao lado de duas grandes amigas. Por sinal, nós conseguimos a condenação dos réus e nota máxima no trabalho.

Tive uma cadeira de Linguagem e Produção Textual, que é… português. Uma espécie de revisão e preparação para o conhecimento da linguagem jurídica, mas nada muito técnico ainda, sabe? Também tive Ética e Pensamento Filosófico que não é nada além de Filosofia Geral e eu já falei dela lá em cima.

Quase esqueço de Teoria do Direito e Epistemologia Jurídica, que é uma disciplina que exige MUITA leitura. É trabalhada a construção científica do Direito, o conceito de justiça, a ciência do Direito como teoria de interpretação, noções de argumentação e a relação do Direito com as outras ciências. Eu tive contato com as obras do Ihering, do Beccaria, Rousseau e vários outros. Essa é uma disciplina que daria uma conversa de horas. Talvez seja a minha preferida do primeiro período, mas só talvez. ❤

De uma forma bem geral, eu acredito que seja um dos semestres – se não o semestre – mais teóricos do curso. Porque o contato com casos é mínimo e você tem quase nenhuma noção das leis. Isso talvez seja difícil para alguns que escolhem o curso achando que vão ter muitos casos para resolver assim, de cara, sabe? Às vezes alguns se desiludem ali mesmo e desistem. Eu vos digo, queridos: persistam! O melhor está por vir. ❤

A continuação vocês acompanham na segunda parte do post.

Desafio Mais Cultura 2016

Dia chuvoso abre espaço para gente se enfiar debaixo das cobertas e passar o dia vagando pela internet, sem preocupação. Foi assim que eu achei o “Desafio Mais Cultura 2016”.

12376826_993066197430159_1638836271114427254_n

Na hora que li, pensei: vou fazer! Mas é aquela coisa, a gente se compromete, guarda a lista, vai passando o tempo, cumpre um, vai passando o tempo e passando e passando. Quando percebe, já acabou o prazo e nada. Então eu resolvi compartilhar aqui no blog, assim a “obrigação” de cumprir se torna pública e, dessa forma, mais séria.

Então, challenge accepted!

Caso alguém aceite o desafio, comentem como está sendo/foi!

Feliz ano novo, pessoal. Beijo grande! ❤