♥ DESAFIO – 101 COISAS EM 1001 DIAS: 02 ♥

IMG_20170801_110233_826Já tentei fazer esse desafio antes. Das 101 coisas, cumpri apenas 26. Foi um fracasso, mas eu explico: as expectativas eram quase impossíveis. Na metade do desafio consegui perceber que jamais cumpriria tudo.

Resolvi tentar mais uma vez. Dessa vez com os pés um pouco mais no chão.

Antes, uma síntese do que é o desafio: a gente lista cento e uma coisas para cumprir em mil e um dias, ou seja, dois anos, oito meses e vinte e cinco dias. Simples.

Início: 05/11/2017.

Fim: 30/07/2020.

Duração: 2 anos, 8 meses e 25 dias.

 

01. Tirar carteira de habilitação

02. Ir ao oftalmologista e trocar os óculos

03. Voltar a pesar 60kg

  • iniciei pesando 67,5kg;

04. Me mudar

05. Usar o planner diariamente

06. Assistir 25 filmes no cinema (0/25)

07. Concluir a graduação em Direito

08. Passar na OAB

09. Iniciar os estudos de outro idioma

10. Iniciar uma pós-graduação

11. Passar no meu concurso

12. Iniciar e terminar o projeto 52 weeks

13. Doar as coisas que não uso mais de 6 em 6 meses

14. Ler 30 livros até o fim do projeto (0/30)

15. Assistir todas a temporadas de Grey’s Anatomy (6/14)

16. Advogar

17. Publicar no blog ao menos duas vezes por mês

18. Aprender a nadar

19. Deixar de tomar coca-cola

20. Diminuir o consumo de açúcar

21. Começar/continuar e terminar 20 séries (1/20)

– Stranger Things;

22. Visitar meus pais ao menos uma vez por mês

23. Começar academia

24. Acordar cedo de segunda à sexta

25. Atualizar o instagram da concurseria semanalmente

26. Comer menos doce

27. Assistir um filme por semana em casa

28. Fazer o segundo furo na orelha

29. Presentear 5 pessoas sem motivo aparente (1/5)

30. Ir a 5 shows (0/5)

31. Ser cúpido de um casal

32. Ir a uma festa com os meus amigos da faculdade

33. Comprar um óculos de sol

34. Trocar de estágio

35. Ir à missa uma vez por semana

36. Frequentar um grupo de oração

37. Trocar o celular

38. Conseguir aprovação no TCC com nota máxima

39. Começar a caminhar

40. Receber uma declaração de amor daquelas de filme

41. Parar de viver relacionamentos que só existem na minha cabeça

42. Ir à uma festa fantasia

43. Ajudar alguém em uma situação muito difícil

44. Publicar dois artigos científicos (0/2)

45. Fazer o “Rory Gilmore Books Project” e ler ao menos 25% da lista até o fim do projeto

46. Conhecer alguém muito legal e escrever sobre isso

47. Anotar todos os meus gastos no planner

48. Ter um cofre e colocar moeda nele todos os dias

49. Parar de querer ser boa/brilhante/perfeita o tempo todo

50. Ligar para casa toda semana

51. Jogar boliche com as amigas

52. Visitar meus amigos da época do colégio

53. Ser reconhecida profissionalmente

54. Conseguir total independência financeira

55. Assistir um filme de terror no cinema com as amigas

56. Participar de um trabalho voluntário

57. Conseguir terminar o cronograma de 6 meses do ciclos

58. Ser madrinha de alguém

59. Ir a um bar karaokê e cantar muuuuito

60. Morar sozinha

61. Aprender a dizer NÃO

62. Comprar um carro

63. Tirar o passaporte

64. Comprar dois pares de tênis de academia

65. Começar algum esporte

66. Fazer um álbum com as fotos da graduação

67. Conhecer Jeri

68. Voltar ao inglês

69. Comprar um terreno

70. Assistir 26 filmes que eu nunca vi começando com cada letra do alfabeto

71. Ser monitora na graduação

72. Fazer um piquenique

73. Casar algum amigo

74. Comprar apenas roupas e sapatos que irei usar

75. Parar de querer parcelar tudo que compro

76. Guardar 5 reais para cada item realizado nessa lista

77. Fazer o projeto fotográfico 100 Happy Days no instagram

78. Doar os livros que não me interessam mais

79. Ver meu irmão começar a faculdade

80. Comprar um travesseiro novo

81. Me apaixonar

82. Comprar livros bimestralmente

83. Ser uma filha e irmã melhor

84. Fazer as unhas com mais frequência

85. Adquirir o hábito de usar brincos/aneis/pulseira/colar

86. Colocar o meu coração e pular de cabeça nos meus projetos

87. Tentar ser mais presente na vida dos meus amigos do interior

88. Escrever e enviar cartas

89. Aprender a fazer trança

90. Comprar um tablet/ipad

91. Fazer uma viagem de férias

92. Assistir uma peça de teatro

93. Descobrir meu tipo sanguíneo

94. Começar uma coleção

95. Iniciar e terminar o projeto 365 days

96. Ler um livro de doutrina jurídica capa a capa

97. Passar réveillon na praia

98. Comprar/ganhar 5 blazers (2/5)

99. Agradecer a Deus todos os dias

100. Tornar real algo que julgo impossível

101. Completar a lista

 

 

Espero conseguir cumprir pelo menos a metade dessa vez.

 

T. ❤

Anúncios

Fortalezando: Dragão do Mar

Com visita marcada e companhias para lá de especiais, fui ao Centro de Arte e Cultura Dragão do Mar, ali pertinho da Praia de Iracema. Já conhecida a noite do Dragão, que, por sinal, é para todos, e quando digo todos é TODOS mesmo. Acho que se me pedissem para resumir o local em uma palavra seria diversidade. As fotos foram feitas, na verdade, para um trabalho do curso de Jornalismo de uma amiga muito querida. Dessa forma, não são todas de minha autoria. Mas é claro que eu aproveitei e resolvi fazer post aqui no BCH. A ideia era fotografar a arquitetura do lugar. Meus eternos agradecimentos a Lívia Lira, pelo convite, e a Rafa Palhano, pela companhia.

Quanto ao local: já expliquei no post anterior do projetinho “Fortaleando” que as fotos serão expositivas. Tento falar o mínimo possível. O ideal mesmo é que as pessoas sintam curiosidade em conhecer os locais – e Fortaleza como um todo – através das fotos. Porque nós bem já sabemos: uma imagem vale mais que mil palavras.

Não esqueçam de conhecer a cidade de forma compartilhada. Usem a hashtag #Fortalezando nas redes sociais!

50 fatos sobre mim ♥

Por conta da indicação e pedido do meu amigo Wagner Lima para que eu respondesse a TAG: 50 fatos sobre mim, cá estou eu. O post deveria ser um pouco menor, mas eu não me contenho. Abaixo segue a lista que diz muito mais que  50 fatos sobre esta que vos escreve.

01. Meu nome é Thaís. Com TH, nada de y, i acentuado. Escrito fica bem óbvio, mas é assim que eu respondo em 99,9% das vezes em que alguém pergunta meu nome. Era para Giulia. Sim, com a pronúncia italiana. Tudo bonitinho, sonho da mamãe. Porém ela constatou que todos chamariam de Júlia e resolveu colocar Thaís. Com TH… pois é. Ironia do destino ou não, minha afilhada hoje se chama Júlia. É, nada de pronúncia italiana.

02. Eu sou uma geminiana clássica. E como tal, sou 8 ou 80. Sempre nos extremos. Super paciente ou tolerância zero. Muito arrumada ou 100% nem aí. Alternância de humor, desembestada para falar, fome de mundo, versatilidade, brainstrom etc etc etc. Não sei dizer se é algo bom ou ruim, só sei que faz parte do pacote.

03. Sou uma louca apaixonada pela família. É meu bem maior. Deus me livre de dar algo que não seja orgulho, felicidade e motivos para sorrir (e chorar, se for de felicidade, pode, tá?) a minha família.

04. Meu paladar é deficiente. Só isso pode explicar o fato de eu não conseguir misturar doce com salgado. Goiabada com queijo, passas no arroz? NUNCA!

05. Meu canal de TV preferido é o GNT.

06. Meus programas preferidos são o Saia Justa e o Chegadas e Partidas. Sempre choro. Ambos do GNT.

07. Organizado minhas roupas por cores porque me sinto confortável dessa forma e ponto. (Minha mãe odeia. Beijo, mãe!) Assim eu consigo visualizar melhor as roupas. Descobri que não tenho uma queda, mas sim uma fixação por preto e branco. Por algum motivo ainda desconhecido, também tenho muitas peças que misturam os dois – listras e poá <3. Sabe lá Deus o porquê, tenho um número significativo de blusas laranjas.

08. Dou bom dia/boa tarde/boa noite e agraceço a todos os trocadores e motoristas dos ônibus que pego. Mesmo que eles não respondam – e a maioria não responde. Há quem critique… fazer o quê, né?!

09. Sou terrível em guardar dinheiro. Sempre tem um livro, uma sapatilha, um filme, uma blusa ou um sorvete que eu quero muito. Vou lá e compro. Me arrependo. Digo que não vou mais cair em tentação. Caio. E o ciclo recomeça.

10. Adoro dar presentes! Mais um dos motivos do porque não consigo guardar dinheiro. É pai, é mãe, é irmão, é afilhada, é amigo, é primo. “AH! Vamos fazer amigo secreto! E amigo doce! E amigo da onça! E…!”

11. Quando gosto muito de uma música, eu a escuto várias e várias e várias vezes seguidas. Por dias, semanas. Herdei essa mania da minha mãe, meu irmão herdou de mim e meu pai odeia. (Beijo, pai!)

12. Tenho 1,62 de altura e peso 62 quilos.

13. Sou viciadinha no programa talk show do Jô Soares! (Adoro o Jô! Beijo, gordo!) Assisto na TV sempre que dá e, quando não, vejo no youtube.

14. Tenho playlist para todos os momentos da minha vida. Sério. Para os que já foram, os que aqui estão e os que virão. Obrigada, spotify.

15. Na minha família todo mundo faz aniversário na casa dos 20. Na ordem: papai – 20, eu – 23, meu irmão – 26 e mainha – 27.

16. Depos que entrei na casa dos 19, meu corpo reclama como se eu tivesse 25, sei lá. Passei a sofrer (ainda mais) de ansiedade e tenho um sono sem fim na hora errada – passo o dia inteiro querendo dormir e à noite não tenho sono. Dizem que quando a cabeça não pensa, o corpo padece. No meu caso a cabeça tem pensado demais.

17. No colégio a disciplina que eu mais gostava era História (e Português <3! Não consigo escolher entre as duas).  A que eu odiava menos gostava era Espanhol, mais conhecida como A Pedra no Meu Sapato. Até o primeiro ano eu nunca tinha zerado um trabalho/prova, até fazer minha primeira prova de Espanhol.

18. Eu absorvo as pessoas, sobretudo suas manias, de uma forma muito rápida. O que me incomoda muito, para ser sincera. Do nada eu me pego falando igual a fulano, gesticulando igual a ciclano. E, apesar de achar que nós somos mesmo a mistura das pessoas que passam pela nossa vida, eu acho um pouco não-autentico. Sigo tentando amadurecer nesse ponto.

19.  Eu tenho muito, muito, muito – é algo imensurável, sério – orgulho da educação que os meus pais me deram. Tudo muito humilde, realista, pés no chão. Se me perguntassem se eu mudaria algo, se faria algum desvio de rota, a resposta viria de prontidão: nunca.

20. Eu já estudei e fiz teatro por muitos anos.

21. Já fui locutora e redatoda de um programa na rádio local. Entre os meus 13/15 anos.

22. Eu sou do que Cazuza chamou de “turma do abraço”. Meu negócio não é somar é multiplicar, sozinho eu não dou conta. Diferente do que as pessoas pensam, eu sou bem aberta a novas amizades. O meu grupo de amigos (lato sensu) só se expande.

23. Tenho muita fome de mundo. Meus pais me criaram para o mundo, tenho sempre essa impressão. Meu pai cantava e canta para mim até hoje que “… ter saudade até que é bom, é melhor que caminhar sozinho. A esperança é dom que eu tenho em mim, eu tenho sim.”

24. Odeio abacaxi e tudo que dele deriva.

25. Amo cachorro, não curto gato.

26. Sou uma cinéfila “pao-com-ovo” ou “meia-boca”, como preferir. Eu sou crítica, mas não tenho muita técnica. Por falta de tempo para estudar o assunto e, depois que comecei a faculdade, para assistir filmes, o que me faz sofrer bastante, porque eu sou apaixonada pela sétima arte.

27. Sou acadêmica de Direito, apaixonada pelo curso. Todos os dias eu tenho ainda mais certeza que fiz a escolha certa.

28. Eu gosto de estudar, o que facilita o bom desempenho nas minhas atividades acadêmicas. Sempre me dedico muitos aos projetos que me proponho a fazer. Não encaro a faculdade apenas como um projeto de retorno financeiro.

29. Tenho uma vaidade intelectual muito forte, o que explica o fato de eu não encarar a faculdade somente como fim lucrativo. Aprender, conhecer… me faz bem. Não é, nem de longe, um fardo. Quem me conhece sabe.

30. Tenho interesse em adentrar, quem sabe, futuramente, na esfera política.

31. Apesar de ter umas crises de pessimismo – as bads da vida, né – de uma forma bem geral, eu sou muito otimista. Sempre consigo ver proveito, tirar algo bom de uma situação ruim, aprender com os erros. Sempre. Isso me ajuda muito a vencer as lutas travadas diariamente.

32. Eu escrevo cartas para ninguéns.

33. Sou uma pessoa muito maternal, o que às vezes irrita os meus amigos. Fico aconselhando, dando bronca, puxando orelha. Faço a linha tiazona sem nenhuma vergonha.

34. Adoro bater perna em shopping sozinha, sem ninguém falando ao lado, me apressando. Para mim é uma terapia.

35. Também prefiro ir ao cinema sozinha. Pelos mesmo motivos que vou ao shopping sozinha.

37. Sou míope, estrábica e astigmata.

38. Quando criança, eu fugi de casa umas três vezes.

39. Sou cristã, católica. Sou devota de Santa Rita de Cássia, santa das causas impossíveis. De fazer promessa e tudo. Costumo dizer que a fé por Santa Rita foi herança da minha vó Bia.

40. Sou quase uma stalker profissional. Do tipo de, se bobear, eu descubro rg, cpf e tipo sanguíneo na internet.

41. Nunca ganhei nada em sorteio, bingo, rifa. Nunca.

42. Durante a minha gestação, não deixei que soubessem meu sexo e olha que minha mãe tentou ver algumas boas vezes. Por esse motivo ela comprou tudo amarelo. A minha vinda foi uma surpresa.

43. Nunca quebrei nenhum osso do corpo. Nem pretendo.

44.  Não sou do tipo de pessoa que “vai na onda”, que “segue a moda”. No meu entender, eu tenho a cabeça no lugar. Então, se eu fizer algo é porque eu quero fazer. O que às vezes não é tão bom, porque eu não levo muito em consideração a opinião alheia. Se eu quiser, eu vou. Se não, não vou. Claro que se tratando de assuntos relevantes, na maioria das vezes e sempre que posso, eu consulto pessoas de referência. (Beijo pai, beijo mãe!)

45. Esse é o terceiro blog que eu crio.

46. Tenho uma caixa com todas as cartas, fotografias e cartões que recebi durante os meus 19 anos.

47. Tenho muita, muita, muita vontade de aprender a atirar. É uma das coisas que pretendo aprender até o final da graduação em Direito.

48. A minha rede social preferida é o twitter. Porque lá ninguém precisa ser feliz o tempo todo, lá eu posso postar “queria estar morta” e ninguém vai me olhar torto ou me mandar pedir perdão a Deus – porque o Senhor sabe que é só força do hábito e que nada quer dizer além de “para o mundo que eu quero descer” ou “para que tá feio”. E, bem, tem o Pe. Fábio de Melo. Preciso mais nem explicar, né?

49. Acreditei fielmente em Papai Noel até os 6 anos de idade. Papai simulava a entrega de presente todos os anos e recebia muita críticas por causa disso.Tadinho!

50. Não me considero uma pessoa inteligente. Me acho esforçada, não inteligente.

T.